EUA podem dobrar tropas no Afeganistão em 2009, diz almirante

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas americanas, almirante Mike Mullen, disse neste sábado que os Estados Unidos irão enviar até 30 mil soldados a mais para o Afeganistão até a metade do ano que vem, praticamente dobrando o efetivo americano no país. Entre 20 mil e 30 mil é a margem de aumento total acima do que temos hoje.

BBC Brasil |

Eu não tenho os números exatos", disse Mullen.

Ele acrescentou que o aumento das tropas no Afeganistão está "diretamente ligado" à gradual retirada do Iraque durante 2009.

Indicações anteriores de militares e de membros do governo americano indicavam que mais 20 mil soldados seriam enviados ao país. Isso atenderia o pedido do principal comandante dos Estados Unidos e da Otan no Afeganistão, general David McKiernan.

Atualmente, há 31 mil soldados americanos no país, sendo que 14 mil deles fazem parte da força internacional da Otan, que têm 51 mil militares.

Sul do país
Mullen disse que a maior parte dos reforços será enviada ao sul do Afeganistão, onde hoje atuam tropas britânicas, canadenses e holandesas da Otan.

"Lá é onde ocorrem os piores confrontos", explicou o almirante. "Quando enviarmos as tropas adicionais para lá, eu acho que a violência vai aumentar (...) A luta vai ser mais dura porque haverá lugares na zona de conflito que nós sabemos que precisamos ir, mas não fomos ainda para garantir a segurança da população."
O almirante também ressaltou que, assim que os reforços chegarem ao país asiático, apenas melhorias na atuação do governo afegão e na situação econômica do país poderão ajudar a enfraquecer mais os insurgentes.

O analista da BBC Rob Watson disse que nos próximos 12 meses deve haver um aumento do esforço da comunidade internacional em melhorar a governança no Afeganistão, especialmente no nível local, para que o reforço das tropas possa ser melhor aproveitado na estabilização do país.

Conselheiros do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, também ressaltaram a necessidade de buscar uma solução regional para os problemas do Afeganistão, envolvendo também países vizinhos, disse Watson.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul Martin Patience, três mil soldados americanos já são esperados no Afeganistão em janeiro e há relatos de que eles devem ser enviados a províncias vizinhas à capital afegã, onde ocorreram violentos confrontos nos últimos meses.

Na sexta-feira, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, determinou o envio de uma nova unidade de combate da aeronáutica ao país também na primeira metade do ano que vem.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG