EUA pode voltar a incluir Coreia do Norte entre países terroristas

Washington - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, revelou neste domingo que o Governo dos Estados Unidos estuda voltar a incluir a Coreia do Norte na lista de países que apoiam o terrorismo.

EFE |

Hillary deu tal informação durante entrevista ao programa "This Week", do canal de televisão "ABC", no qual reconheceu que "há um processo" aberto.

A secretária disse que nenhuma decisão foi tomada até agora porque "é necessário que haja provas recentes de seu apoio ao terrorismo internacional" e é algo que "acabamos de começar a estudar", afirmou.

Washington retirou a Coreia do Norte de tal lista em outubro de 2008, depois de Pyongyang aceitar abrir suas instalações nucleares à inspeção internacional como parte das negociações de seis lados (EUA, as duas Coreias, China, Japão e Rússia) para a desnuclearização do país asiático.

No entanto, no último dia 25, o Governo norte-coreano realizou o segundo teste nuclear de sua história (o primeiro foi em outubro de 2007) e lançou vários mísseis de curto alcance, violando a resolução 1718 da ONU.

A chefe da diplomacia americana declarou que os EUA estão avaliando o impacto de "não tomar uma forte ação" e se mostrou a favor da aprovação de mais sanções e um embargo de armas com "pleno apoio de China e Rússia".

Em meio às turbulências políticas, Hillary ressaltou que as duas jornalistas americanas detidas na Coreia do Norte "têm que ser liberadas, porque este é um caso humanitário".

Laura Ling e Euna Lee foram detidas na fronteira com a China em março deste ano enquanto gravavam imagens para um documentário sobre o tráfico de mulheres norte-coreanas.

As autoridades da Coreia do Norte as julgam pelas acusações de ter cometido "atos hostis e entrada ilegal" no território do país, em processo que corre em segredo de justiça.

Para a secretária de Estado, as acusações apresentadas "carecem totalmente de fundamento" e expressou seu desejo de que "o julgamento termine rapidamente, se resolva e voltem para casa".

Leia mais sobre terrorismo

    Leia tudo sobre: coréiaeuaterrorimso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG