EUA planejam estabelecer diplomatas no Irã pela primeira vez em 30 anos

Londres - Os Estados Unidos planejam estabelecer uma presença diplomática em Teerã pela primeira vez em 30 anos, devido ao giro na política do presidente americano, George W. Bush, em relação ao Irã, revelou hoje o diário britânico The Guardian.

EFE |

Segundo a publicação, Washington fará um anúncio no próximo mês para estabelecer um Escritório de Interesses dos EUA no Irã, o que levará ao envio de diplomatas americanos à República Islâmica.

Os dois países romperam relações diplomáticas após a revolução islâmica de 1979 no Irã, que derrubou o xá Mohammad Reza Pahlavi, que contava com o apoio americano.

As relações entre EUA e Teerã pioraram por causa da crise dos reféns, ocorrida quando, pouco depois do triunfo da revolução, um grupo de estudantes radicais entrou na sede da Embaixada americana e reteve seus ocupantes até janeiro de 1981.

A notícia da mudança de giro a respeito de Teerã do líder americano, que seguiu durante seu mandato uma linha dura em relação ao Irã, acontece após um momento crítico nas relações entre os dois países.

Depois da tensão dos últimos dias entre Irã e Israel, os EUA anunciaram ontem que seu subsecretário de Estado, William Burns, participará neste fim de semana em Genebra das conversas da União Européia (UE) com o Irã sobre o programa nuclear desse país.

Segundo o "Guardian", o retorno de diplomatas dos EUA ao Irã depende de um acordo com Teerã.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse esta semana que não era contra a abertura de uma missão americana em seu país, e que consideraria favoravelmente qualquer pedido para estimular as relações entre as duas nações.

De acordo com o jornal, o departamento de Estado americano pressionou a Casa Branca nos últimos dois anos para restabelecer relações diplomáticas com Teerã mediante a criação de um Escritório de Interesses.

Este escritório, que seria similar ao que os EUA têm em Havana, realiza todas as funções de uma Embaixada.

Atualmente, a Embaixada da Suíça vela pelos interesses americanos na República Islâmica.

O Governo britânico restabeleceu sua Embaixada em Teerã depois das eleições gerais de 1997.

Segundo o "Guardian", com o envio de Burns às conversas de Genebra e o restabelecimento de diplomatas no Irã, o Governo Bush pretende enfraquecer um dos principais pontos da política externa do candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, que defende negociações diretas com Teerã.

    Leia tudo sobre: teerã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG