EUA: perda de 51.000 empregos em julho

A economia americana perdeu 51.000 empregos em julho, assim como em junho, anunciou nesta sexta-feira o departamento de Trabalho.

AFP |

A taxa de desemprego subiu para 5,7% da população ativa, contra 5,5% no mês anterior, acrescentou.

Os analistas esperavam uma perda maior de postos de trabalho, de 75.000, mas ficaram decepcionados com a alta do desemprego porque previam taxa de 5,6%. Assim, o desemprego está em seu nível mais elevado desde março de 2004.

Os dados dos meses anteriores foram revisados, para 51.000 postos a menos em junho e 47.000 somente em maio, em vez dos 62.000 anunciados para cada um desses dois meses.

Os analistas em geral dão mais atenção à geração de empregos, por considerá-la mais representativa da saúde da economia.

Desde o início do ano, a economia americana cortou 463.000 empregos no total.

Estes dados foram publicados poucos dias antes da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano), que deve reconsiderar terça-feira o nível de sua taxa básica de juros, atualmente fixada em 2%.

Em julho, a economia continuou repercutindo a crise imobiliária, com o corte de 22.000 postos no setor de construção.

O salário médio por hora aumentou 0,3%, para US$ 18,06 em julho, de acordo com as previsões dos analistas. Em um ano, a alta chegou a 3,4%, igual ao mês anterior.

cg/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG