EUA pedem que Coréia do Norte declare programa nuclear nos próximos dias

Seul, 2 abr (EFE).- O principal negociador americano para o diálogo nuclear, Christopher Hill, pediu hoje que a Coréia do Norte apresente nos próximos dias a esperada declaração de seu programa atômico.

EFE |

Hill, que tenta desde ontem em Seul desbloquear o processo de desnuclearização norte-coreana, indicou que os próximos dois ou três dias serão cruciais para retomar as conversas de seis lados na busca de uma saída negociada ao programa nuclear do país comunista.

"Teremos de ver se será possível ouvir algo novo da Coréia do Norte sobre isto nos próximos dias", disse Hill depois de se reunir com as autoridades de Seul, segundo a agência sul-coreana "Yonhap".

O negociador americano indicou ainda que aconteceram avanços sobre a declaração durante o encontro de março com seu colega norte-coreano, Kim Kye-gwan, em Genebra.

Em um acordo obtido no ano passado, Pyongyang tinha se comprometido com Coréia do Sul, EUA, Japão, Rússia e China a desmantelar suas principais usinas nucleares em Yongbyon e a declarar todo o seu programa nuclear em troca de ajudas energéticas e de incentivos políticos.

O prazo fixado expirou em 31 de dezembro sem que a Coréia do Norte tivesse cumprido seu compromisso, devido a divergências sobre seu suposto programa de enriquecimento de urânio.

Hill afirmou que Washington está preocupado com o tempo e lembrou que essa declaração teria de ter sido fechada no final de março.

Segundo fontes diplomáticas citadas pela "Yonhap", Hill poderia reunir-se nesta sexta-feira com o negociador norte-coreano em Jacarta, a próxima etapa de sua viagem pela Ásia.

Este encontro seria um sinal de que a Coréia do Norte já teria tomado uma decisão sobre a declaração de seu programa nuclear, de acordo com a agência sul-coreana.

Em Seul, o negociador americano se reuniu entre ontem e hoje com o primeiro vice-ministro de Exteriores, Kwon Jong-rak, e o vice-ministro, Lee Yong-joon.

Além disso, deve se encontrar ainda hoje mesmo com o conselheiro presidencial na política externa e a segurança, Kim Byung-kook, antes de partir amanhã para a Indonésia. EFE ce/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG