EUA pedem que Conselho de Segurança da ONU amplie sanções ao Irã

Washington, 3 ago (EFE).- Os Estados Unidos disseram hoje que a recusa do Irã em cessar suas atividades nucleares deixa ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, como uma única alternativa, aumentar as sanções ao regime de Teerã.

EFE |

"Está claro que o Governo do Irã não cumpriu com a reivindicação da comunidade internacional de deter seu programa de enriquecimento nuclear e não está nem sequer interessado em tentar", disse à imprensa Richard Grenell, porta-voz da missão americana perante a ONU.

Ontem, venceu um prazo informal dado ao Irã para que respondesse a uma oferta de Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, China e Rússia para pôr fim a seu polêmico programa nuclear.

Esses países deram a Teerã um prazo de duas semanas, a partir de 19 de julho, para que respondesse a oferta de não impor mais sanções ao Irã em troca de que este país do Oriente Médio congelasse suas atividades nucleares.

"Não deixam mais opção ao Conselho de Segurança senão aumentar as sanções", disse Grenell.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou no sábado que seu país "não renunciará nem a um ápice" de seu direito desenvolver atividades nucleares.

Apesar da solicitação dos EUA, diplomatas representantes dos demais membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas assinalaram que prefeririam não iniciar agora uma nova rodada de negociações para impor sanções adicionais a Teerã. EFE tb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG