EUA pedem que China investigue massacre na Praça da Paz Celestial

Washington, 3 jun (EFE).- Os Estados Unidos pediram hoje à China que investigue um dos capítulos mais obscuros de sua história e divulgue os números de mortos e feridos do massacre da Praça da Paz Celestial, que completa 20 anos.

EFE |

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, destacou em comunicado os "enormes progressos" da China para se posicionar como grande potência econômica mundial, por isso considerou que chegou o momento de revisar a história para continuar avançando.

Hillary pediu também que, por ocasião da data, a China libere os presos pela participação nos protestos pacíficos que acabaram com o massacre na Praça da Paz Celestial.

"A data oferece uma oportunidade para que as autoridades chinesas ponham em liberdade todos os que ainda cumprem pena por relação com os eventos de 4 de junho de 1989", disse Hillary no documento.

"A China, que fez um enorme progresso econômico e está surgindo para ocupar o lugar que lhe corresponde na liderança mundial, deve examinar abertamente os eventos mais obscuros de seu passado e oferecer um número público de mortos, detidos ou desaparecidos, para aprender e para curar as feridas", acrescentou.

A secretária de Estado expressou seu desejo de que a data sirva para refletir sobre o significado dos eventos que precederam esse dia e que o presidente Hu Jintao "dê ao desenvolvimento democrático a mesma prioridade que deu à reforma econômica". EFE elv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG