EUA pedem para Governo boliviano proteger embaixada de protestos

Washington, 15 set (EFE) - Os Estados Unidos pediram ao Governo boliviano que proteja a embaixada do país em La Paz e o pessoal diplomático diante dos protestos que dirigentes sociais e sindicais realizarão hoje em apoio ao presidente da Bolívia, Evo Morales. O ex-embaixador americano em La Paz Philip Goldberg já deixou a Bolívia, mas a delegação diplomática e os serviços consulares seguem seu trabalho normal e a pleno rendimento, explicou hoje o porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack. Diante dos protestos convocados na capital boliviana e em seus arredores, os EUA estão observando de perto os eventos, porque poderiam afetar a embaixada e suas atividades, disse. Falamos com o Governo da Bolívia sobre a segurança em nossa embaixada e a segurança para o pessoal oficial no país, acrescentou o porta-voz. Eles entendem que sua responsabilidade é fornecer proteção. Neste momento, achamos que vão ajudar. Acreditamos que nos fornecerão qualquer proteção necessária, destacou McCormack.

EFE |

O ministro de Governo boliviano, Alfredo Rada, pediu hoje aos dirigentes sociais e sindicais afins ao Executivo para desconvocar a passeata que tinham previsto realizar da cidade de El Alto, divisa com La Paz, em direção à embaixada americana, pois "já não tem sentido" depois que Goldberg deixou a Bolívia.

No entanto, os Estados Unidos preferem estar preparados, levando em conta que, no final de junho, foi necessário evacuar o pessoal da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) em Chapare (centro) pelas ameaças recebidas por parte de sindicatos cocaleiros e os atos de 9 de junho diante da embaixada em La Paz.

EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG