EUA pedem paciência em negociações sobre Honduras

WASHINGTON - O Departamento de Estado norte-americano disse, nesta terça-feira, que todos os envolvidos na crise política de Honduras devem dar uma chance para que as negociações tenham êxito e não fixar prazos.

Reuters |

Reuters



Zelaya diz em coletiva que deve
ser restituído na próxima reunião



O comentário feito pelo porta-voz do Departamento de Estado Ian Kelly foi uma resposta à declaração do presidente deposto Manuel Zelaya. Ele declarou em uma coletiva de imprensa, nesta segunda-feira, que as negociações irão fracassar se ele não for restituído na próxima reunião. O encontro deve ocorrer neste fim de semana.

"Todos as partes nos diálogos devem dar a este processo algum tempo. Não fixem quaisquer prazos artificiais, nós temos que dar uma chance ao processo", disse Kelly a jornalistas, referindo-se às negociações mediadas pelo presidente da Costa Rica, Óscar Arias.

Zelaya insiste em sua volta ao cargo após o golpe de 28 de junho. Mas Roberto Micheletti, instalado como presidente interino pelo Congresso de Honduras, está inflexível sobre o fato. Ele afirma que Zelaya não pode voltar ao poder sob quaisquer circunstâncias por ter buscado ilegalmente uma forma de estender seu mandato presidencial.

Nenhum governo estrangeiro reconheceu Micheletti como presidente. Os Estados Unidos, a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) pediram que Zelaya fosse restituído para seu gabinete depois do golpe no empobrecido país da América Central.

Leia também


Entenda

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: costa ricagolpehonduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG