EUA pedem libertação de líder da oposição em Mianmar

WASHINGTON - Os Estados Unidos fizeram nesta quinta-feira um pedido de libertação imediata da líder opositora e prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, depois que as autoridades militares de Mianmar apresentaram novas acusações contra ela e ordenassem sua prisão.

EFE |

AP
Ativistas pedem a libertação de Kyi em frente à embaixada de Mianmar em Seul
Ativistas pedem a libertação de Kyi
na embaixada de Mianmar em Seu

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Ian Kelly, afirmou que o Governo dos EUA considera que Suu Kyi "não deveria estar sob prisão domiciliar e muito menos na prisão. Resumindo, ela deveria ser libertada imediatamente".

A líder da oposição foi detida nesta quinta-feira para ser julgada por descumprir os termos da prisão domiciliar, após a presença de um americano em sua casa, na qual esteve confinada durante os últimos seis anos.

O governo americano, através de sua embaixada em Yangun, entrou em contato com Junta Militar local para obter informações sobre o caso.

A acusação está relacionada com o caso do americano John Yettaw, de 53 anos, que na semana passada entrou na casa de Suu Kyi após burlar o esquema de segurança.

O porta-voz explicou que Yettaw compareceu hoje a um tribunal e as autoridades locais permitiram que um funcionário da embaixada americana acompanhasse a audiência.

Leia mais sobre Mianmar

    Leia tudo sobre: mianmar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG