EUA pedem libertação de ativista iraniana detida por conspiração

Washington, 6 mai (EFE).- Os Estados Unidos pediram hoje a libertação da ativista iraniana Silva Harotonian, membro de uma ONG americana, que foi detida em 2008 acusada de conspirar para promover uma revolução de veludo no Irã.

EFE |

Harotonian foi detida em 26 de junho de 2008 e condenada a cumprir pena de três anos pelas acusações, consideradas "infundadas" pelo porta-voz adjunto do Departamento de Estado americano, Robert Wood.

Ele ressaltou que o caso se encontra nos tribunais "pendente de uma segunda apelação", mas que, segundo os últimos relatórios, a saúde da ativista piorou, pelo isso que pediu ao Governo iraniano "que conceda a liberdade a Harotonian".

A ativista iraniana, de origem armênia, começou a trabalhar em 2007 com a ONG International Research & Exchanges Board (Irex) para facilitar programas que melhorassem a cooperação entre Irã e Estados Unidos em assuntos de saúde infantil e materna.

O trabalho de Harotonian, segundo indica a organização no site, consistia em divulgar notícias de saúde destinado a mães e filhos, "queria promover a boa vontade internacional e não tinha outro objetivo".

A ativista cumpre pena na mesma prisão na qual permanece a jornalista americana Roxana Saberi, segundo a imprensa americana.

EFE elv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG