EUA pedem a regime de Mianmar para libertar ativistas detidos

Washington, 22 ago (EFE) - O Governo dos Estados Unidos pediu hoje à Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) que liberte Min Ko Naing, Ko Ko Gyi e outros ativistas que lutam pela democracia no país e que foram detidos há um ano em protestos contra o regime.

EFE |

"Os EUA reiteram seu apelo ao regime para libertar todos os presos políticos, incluindo Aung San Suu Kyi, que está sob prisão domiciliar desde 2003, Min Ko Naing e Ko Ko Gyi", disse o Departamento de Estado americano em comunicado.

O orgão também pediu para que fosse colocado "fim às tentativas de intimidar e silenciar aqueles que trabalham pela promoção da democracia e os direitos humanos em Mianmar".

O porta-voz adjunto do Departamento de Estado dos EUA, Robert Wood, afirmou que o país pede ainda ao regime militar birmanês que inicie um diálogo coerente com um prazo fixo de tempo com os líderes democráticos e de minorias étnicas sobre uma "transição crível para a democracia".

O regime militar deve levantar "todas" as restrições impostas às operações de organizações humanitárias em Mianmar, entre elas as que trabalham para amenizar os efeitos do ciclone tropical "Nargis", insistiu Wood.

Um total de 14 dirigentes da Geração de Estudantes de 88, de oposição à Junta birmanesa, estão há um ano detidos sem que tenham sido acusados nos julgamentos de qualquer crime, segundo a dissidência. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG