EUA pedem a Pequim investigação sobre ataque a Google

Washington, 21 jan (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu hoje a Pequim uma investigação meticulosa e transparente sobre o ciberataque ao Google proveniente da China, que levou o site a ameaçar encerrar atividades no país asiático.

EFE |

"Esperamos das autoridades chinesas uma revisão minuciosa das invasões cibernéticas que levaram o Google a fazer o anúncio (de fechar o negócio na China) e também esperamos que tal investigação e seus resultados sejam transparentes", disse a chefe da diplomacia americana em discurso sobre a liberdade na internet, em Washington.

Por outro lado, Hillary convidou as empresas a rejeitarem a censura na internet. "A censura não deve ser aceita de nenhuma maneira por nenhuma companhia de nenhum lugar", sublinhou.

Ao mesmo tempo, lançou uma advertência a Pequim, ao afirmar que "países que restringem o livre acesso à informação ou violam os direitos básicos dos usuários de internet correm o risco de se isolar do progresso".

No último dia 12, o Google ameaçou encerrar suas operações na China após seu negócio de e-mail sofrer um ataque proveniente do país asiático.

O ciberataque chegou a gerar certa tensão diplomática entre EUA e China. Washington saiu em defesa do Google e da liberdade na internet, pediu explicações de diplomatas chineses em Washington e estuda fazer esta semana uma queixa formal a Pequim pela invasão.

EFE cai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG