EUA pede a Geórgia e Ossétia do Sul para pôr fim à violência

Washington, 7 ago (EFE) - Os Estados Unidos pediram hoje ao Governo da Geórgia e às autoridades da região separatista da Ossétia do Sul que imediatamente coloquem fim à violência e retomem o diálogo para buscar de maneira pacífica soluções para o conflito que enfrentam. Pedimos a Tbilisi que mantenha uma atitude comedida. Estamos muito preocupados com a situação e fazemos uma solicitação para o fim imediato da violência e para o diálogo direto entre as partes, disse hoje o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Gonzalo Gallegos, em sua entrevista coletiva diária.

EFE |

Os EUA acreditam que "é importante que ambas as partes ordenem um cessar-fogo, se sentem e resolvam o conflito de maneira pacífica", perante o recrudescimento da violência na região, explicou Gallegos.

O Departamento de Estado americano está em contato com altos funcionários russos e georgianos para estar a par da evolução dos eventos.

Neste contexto, o Governo do presidente George W. Bush pediu a Moscou que "pressione os líderes de fato da Ossétia do Sul para que cesse o fogo".

Os EUA reiteraram em várias ocasiões seu firme respaldo à soberania e à integridade territorial da Geórgia, um aliado no Cáucaso, e criticou a Rússia pelo apoio aberto proporcionado às regiões separatistas da Abkházia e Ossétia do Sul.

Washington considera que a Rússia deveria facilitar o processo de paz entre Geórgia e as regiões separatistas.

A Ossétia do Sul e o Governo de Tbilisi se acusaram hoje de novos ataques em território dessa região separatista, onde há povoações dos dois lados inimigos.

O presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, ordenou às suas tropas para não responder com fogo aos separatistas.

Também propôs à Rússia que seja o fiador da ampla autonomia que a Geórgia oferece a essa região. EFE cae/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG