EUA negociam com Palau transferência de 17 presos de Guantánamo

Washington, 10 jun (EFE).- Os Estados Unidos disseram hoje que ainda negociam com o Governo de Palau o envio ao país de 17 detidos em Guantánamo e que não chegaram a um acordo sobre a questão.

EFE |

O presidente de Palau, Johnson Toribiong, afirmou hoje que aceitará o grupo de muçulmanos chineses da etnia uigur retidos na base de Guantánamo como gesto humanitário.

Ian Kelly, porta-voz do Departamento de Estado americano, disse nesta quarta-feira que os Estados Unidos estão "agradecidos" com o Governo de Palau por sua ajuda, mas ressaltou que as conversas a respeito ainda não terminaram.

"Não fechamos um acordo. Ainda estamos negociando", afirmou Kelly, que não quis dar outros detalhes.

O Pentágono determinou que os 17 não representam um perigo, mas não podem ser transferidos à China, porque poderiam ser maltratados ou inclusive executados por pertencer ao Movimento Islâmico do Turquistão Oriental.

O grupo busca a independência de sua terra tradicional e é considerado pelo Governo de Pequim uma associação terrorista.

Em 2006, os Estados Unidos enviaram cinco uigures presos em Guantánamo e tinha pedido aos aliados na Europa e à Austrália que aceitassem os outros 17, como parte das tentativas de fechar essa prisão. EFE cma/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG