EUA negam que México escondeu informação sobre gripe suína

Washington, 27 abr (EFE).- O Governo dos Estados Unidos afirmou hoje que não se inteirou da gripe suína no México antes da viagem do presidente Barack Obama a esse país, há 11 dias, mas não acredita que as autoridades mexicanas tenham escondido informação a respeito.

EFE |

A Casa Branca informou em nota que as autoridades americanas não ficaram sabendo dos casos de gripe suína no México até finais da semana passada.

No entanto, afirmou que, embora o México não tenha alertado os EUA sobre o assunto antes da viagem de Obama em 16 de abril, também não tem "razão para se crer que eles esconderam qualquer informação que tenham tido nesse momento".

Segundo a nota, membros da unidade médica da Casa Branca perguntaram então tanto às autoridades de saúde mexicanas como ao pessoal médico da embaixada americana no país sobre se existiam preocupações sobre doenças contagiosas "e foram informados que não havia nenhuma".

Por outra parte, em uma inusitada medida, a Casa Branca também fez circular declarações da Embaixada do México nos EUA sobre a causa de morte do diretor de um museu antropológico na capital mexicana, que morreu uma semana depois da viagem de Obama.

Felipe Solís, diretor do Museu Nacional de Antropologia do México, morreu em 23 de abril passado de "complicações por uma condição preexistente e não de gripe suína", precisou o porta-voz da legação diplomática mexicana, Ricardo Alday, no comunicado que a Casa Branca distribuiu.

Solís recebeu no museu Obama e o presidente mexicano, Felipe Calderón.

O número total de casos detectados nos EUA se elevou hoje a 40, e a Organização Mundial da Saúde aumentou da fase 3 a 4 seu nível de alerta de pandemias. EFE mp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG