EUA negam que fim de convênio em base afetará cooperação com Equador

Quito, 17 jul (EFE).- A embaixadora dos Estados Unidos em Quito, Heather Hodges, afirmou hoje que a cooperação em matéria antidroga com o Governo do Equador não termina com o fim do convênio da base militar de Manta, mas continua.

EFE |

"Queremos continuar cooperando com assistência técnica em várias instituições equatorianas para ajudar o Equador a proteger sua soberania contra o flagelo do narcotráfico", disse Hodges em discurso nos atos oficiais do último voo realizado a partir desta base militar.

"Embora nossa cooperação na luta antinarcóticos através do Posto de Operações Avançadas (FOL, na sigla em inglês) termine hoje, as possibilidades para a cooperação bilateral em antinarcóticos continuam", acrescentou, de acordo com um comunicado da embaixada americana.

Para ela, as soluções regionais requerem a cooperação internacional, e o trabalho realizado nesta base, na cidade litorânea de Manta, "é um excelente exemplo disso".

"Várias agências do Governo americano e representantes de 11 países da América e da Europa, incluindo o Equador, compartilham informação e tarefas na luta antinarcóticos", acrescentou.

Ela lembrou que a partir deste posto militar foram realizadas aproximadamente 5.500 missões que "contribuíram à destruição de 1.800 toneladas de droga".

O convênio pelo qual foi estabelecida a base americana no litoral do Equador foi assinado em 1999 pelo então presidente Jamil Mahuad, com uma duração de dez anos.

O acordo acaba oficialmente em novembro, mas a embaixada dos Estados Unidos em Quito disse que entregará ao Governo do Equador as instalações da base em 18 de setembro. EFE ic/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG