EUA negam envio de armas camufladas à Geórgia

Washington, 2 set (EFE).- O Pentágono rejeitou hoje a acusação do Governo da Rússia de que os Estados Unidos poderiam ter enviado armas à Geórgia escondidas em provisões para ajuda humanitária.

EFE |

Essas acusações são "falsas, incertas, infundadas e sem sentido", disse o porta-voz do Pentágono Bryan Whitman.

"Todas as provisões entregues à Geórgia foram material para aliviar a crise humanitária que a invasão russa causou ao país", acrescentou.

Desde que começou o conflito, a Força Aérea americana fez 62 viagens e a Marinha enviou dois navios ao Mar Negro para entregar 1.138 toneladas de ajuda humanitária.

O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da Rússia, Andrei Nesterenko, declarou ontem que "existe a suposição de que nos envios poderia ter não só cargas civis, mas componentes militares", algo que Whitman rejeitou categoricamente.

O porta-voz do Pentágono assinalou que "a necessidade humanitária ainda existe na ex-república soviética e os EUA vão continuar enviando ajuda, sempre e quando for necessário".

Além disso, denunciou que "embora tivessem ocorrido avanços" as tropas russas continuam em território georgiano, o que considerou uma violação do cessar-fogo assinado no mês passado.

Whitman informou que os navios McFaul e Dallas já terminaram sua missão humanitária na Geórgia, e serão substituídos pelo Mount Whitney, que entregará mais provisões nos próximos dias.

Entre o material entregue constavam berços, barracas, rações de comida, provisões médicas e outros produtos de primeira necessidade.

EFE elv/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG