Santiago do Chile, 18 set (EFE).- O chefe do Estado-Maior do Comando Sul americano, David C.

Garza, disse no Chile que seu país não tem "nada a esconder" no acordo militar com a Colômbia, e afirmou que a preocupação gerada na região é porque "ainda não se sabe todos os detalhes".

"Acho que talvez nosso plano de comunicações não foi tão efetivo.

Mas não temos o que esconder com este acordo", afirmou o alto comando militar, que participará dos atos da festa nacional chilena, em entrevista publicada hoje pelo jornal "La Tercera".

O convênio entre EUA e Colômbia inclui a possibilidade do uso de sete bases militares colombianas por tropas americanas, o que gerou uma preocupação generalizada na região, que recentemente tratou o assunto em uma cúpula de ministros da União de Nações Sul-americanas (Unasul) em Quito.

O chefe do Estado-Maior do Comando Sul dos EUA indicou que o acordo "é um prolongamento de acordos anteriores" e que permitirá "continuar apoiando a Colômbia em questões de segurança para o combate a traficantes de drogas e armas e o narcoterrorismo".

No entanto, afirmou que seu país não tem intenção de estabelecer bases na Colômbia nem na América Latina, e que o convênio com o país latino-americano limita o número de pessoal a 800 militares e 600 contratados. EFE gs/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.