Os Estados Unidos se opõem a uma segunda tentativa de retorno a Honduras do presidente Manuel Zelaya, estimando que tal iniciativa pode prejudicar os esforços de mediação do presidente da Costa Rica, Oscar Arias.


"Não queremos que pessoas tomem medidas que possam entrar em conflito ou não contribuir positivamente aos esforços de mediação de Arias", declarou Robert Wood, porta-voz do departamento de Estado.

"A tensão está muito alta, e estamos tentando levar as partes envolvidas a concentrarem seus esforços na melhor maneira de voltar à ordem democrática e constitucional", acrescentou.

O porta-voz se recusou a especificar se os Estados Unidos tinham entrado em contato com Zelaya para convencê-lo a não tentar voltar a Tegucigalpa. Porém, um alto representante do departamento de Estado, que não quis ser identificado, ressaltou que o presidente hondurenho deposto está totalmente ciente da posição americana.

Uma segunda tentativa de volta de Zelaya "não ajudaria muito", e "ele está totalmente ciente de nossa posição sobre este assunto", afirmou.

"O que ele deveria fazer é se empenhar plenamente no processo de mediação", acrescentou a fonte.

De acordo com seu aliado venezuelano Hugo Chávez, Zelaya está se preparando para regressar a Honduras o mais rápido possível. Ele já tentou voltar a seu país dez dias atrás, mas não conseguiu porque as autoridades bloquearam o aeroporto.

Leia também:


Entenda:


Leia mais sobre Honduras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.