Ramala, 15 jun (EFE).- Os Estados Unidos não consideram que a ampliação dos assentamentos judaicos na Cisjordânia possa influenciar em um acordo final e determinar as futuras fronteiras de Israel, disse hoje, em Ramala, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice.

"Deixamos clara a postura dos Estados Unidos aos israelenses", disse Rice, em entrevista coletiva em Ramala após seu encontro com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Segundo a secretária de Estado americana, a ampliação de assentamentos só serve para "desencorajar a confiança" entre palestinos e israelenses.

As declarações de Rice batem de frente com a tese do Governo israelense de, ao mesmo tempo em que negocia a paz com os palestinos, continuar ampliando os assentamentos judaicos na Cisjordânia e as colônias de Jerusalém Oriental, ao considerar que, em um acordo de paz final, essas áreas farão parte de seu território.

O presidente da ANP disse na mesma entrevista que os assentamentos judaicos são "o obstáculo maior enfrentado pelo processo de paz", relançado em novembro do ano passado na conferência em Annapolis (EUA).

Apesar disso, Abbas se mostrou otimista de que será possível assinar um acordo de paz até o fim de 2008, como foi definido naquela cúpula.

O presidente da ANP pediu ajuda à chefe da diplomacia americana para que intervenha a fim de "convencer Israel a que se comprometa a suspender os assentamentos".

Rice, que chegou ontem à noite a Israel, viajou a Ramala hoje, após se encontrar de manhã, em Jerusalém, com a ministra de Assuntos Exteriores israelense, Tzipi Livni.

Esta é a sexta visita da secretária de Estado americana à região para impulsionar as negociações entre Israel e a ANP desde a realização da cúpula em Annapolis. EFE fn/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.