EUA não apoiarão reeleição de secretário-geral da OEA, segundo jornal chileno

Santiago do Chile, 12 jul (EFE).- Os Estados Unidos não apoiarão a reeleição do chileno José Miguel Insulza como secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), por seu apoio ao retorno de Cuba ao organismo, informou hoje o jornal El Mercurio.

EFE |

Segundo fontes do Governo chileno, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, informou à presidente chilena, Michelle Bachelet, que não apoiará a reeleição de Insulza na Secretaria-Geral da OEA.

O incômodo de Hillary aumentou na assembleia geral do organismo, realizada no início de junho, em Honduras, devido às gestões pessoais de Insulza para conseguir a reincorporação de Cuba ao órgão, segundo fontes do Partido Democrata.

Por isso, no dia 2 de junho, antes de retirar-se da reunião, advertiu à delegação chilena, liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Mariano Fernández, que "os EUA não veem com bons olhos uma reeleição de Insulza".

Um dia depois, a OEA derrogou a resolução de 1962, que retirou Cuba do organismo internacional, mas condicionou a volta do país ao órgão se aceitar a carta democrática do grupo, que exige o exercício da democracia e dos direitos humanos, antes de um eventual reingresso. EFE gs/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG