EUA mudam postura e consideram CO2 prejudicial à saúde

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês) decidiu nesta sexta-feira que o dióxido de carbono (CO2) e outros gases associados ao efeito estufa são prejudiciais à saúde, o que abre caminho para que suas emissões sejam controladas no país A decisão, que marca uma ruptura com a postura assumida pelo governo do ex-presidente americano George W. Bush, foi anunciada depois de uma revisão das evidências científicas dos efeitos dos gases.

BBC Brasil |

Uma legislação para restringir a emissão dos gases deve ser discutida no Congresso, mas a decisão da EPA vai permitir que a agência determine alguns cortes sem esperar pela aprovação das leis.

"Estas conclusões confirmam que a poluição por meio dos gases que causam o efeito estufa é um problema sério agora e para as gerações futuras", disse Lisa Jackson, da EPA.

"Felizmente, elas estão em sintonia com a proposta do presidente Obama de criação de uma economia de baixa emissão de carbono e uma forte liderança no Congresso para a defesa de energias limpas e legislação para o clima."

"E a solução é uma que vai criar milhões de empregos 'verdes' e acabar com nossa dependência de petróleo estrangeiro", disse ela.

A notícia foi elogiada por grupos de defesa do meio ambiente que iniciaram uma série de batalhas legais durante a administração de George W. Bush.

Países em desenvolvimento pediram para que os Estados Unidos mostrem liderança na defesa do meio ambiente.

Analistas dizem que muitos países em desenvolvimento não estão preparados para reduzir os seus poluentes a menos que os Estados Unidos, o maior poluidor do mundo, reduza substancialmente suas emissões.

Leia mais sobre mudança climática

    Leia tudo sobre: c02

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG