Guadalajara (México), 10 ago (EFE).- Estados Unidos, México e Canadá se comprometeram hoje a continuar cooperando para impulsionar a recuperação econômica e estreitar seus laços comerciais e seus esforços na luta contra a mudança climática, a nova gripe e o crime transnacional.

Os presidentes do México, Felipe Calderón, e dos Estados Unidos, Barack Obama, além do primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, destacaram na declaração conjunta da quinta cúpula de líderes da América do Norte que os laços entre os três países "são uma fonte de força que ajudará seus cidadãos a prosperar no desafiante, competitivo e promissor século XXI".

Os três líderes afirmaram que a resposta coordenada da América do Norte à gripe A foi "um exemplo global de cooperação".

Obama, Calderón e Harper também se comprometem a promover a recuperação econômica como uma "prioridade" para seus Governos.

"Trabalhando juntos, aceleraremos a recuperação e a criação de empregos, e construiremos alicerces sólidos para a prosperidade no longo prazo", afirmaram.

Segundo o trio de líderes, isso inclui o fortalecimento das instituições financeiras internacionais como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que "desempenha um papel crucial para atenuar os efeitos da crise nas Américas".

Por isso, Obama, Calderón e Harper apoiam "uma acelerada revisão" do BID para garantir que a instituição conte com suficientes empréstimos no curto prazo.

Na declaração, EUA, Canadá e México consideram o comércio entre os três países como um "componente vital" e asseguram que evitarão medidas protecionistas, fortalecerão suas relações comerciais e promoverão o respeito aos direitos trabalhistas, assim como a proteção do meio ambiente por meio do diálogo contínuo.

Além disso, americanos e canadenses disseram reconhecer "o compromisso e o sacrifício" do México na luta contra o tráfico de drogas e oferecem a Calderón seu "contínuo apoio", e destacam que também buscarão melhorar a cooperação e coordenação com a América Central e o Caribe.

No último ponto da declaração, Obama, Calderón e Harper reiteram seu compromisso com as instituições democráticas e o Estado de Direito no continente. Por isso, reafirmam seu apoio à liderança da Organização dos Estados Americanos (OEA) e se comprometem a trabalhar pela aplicação da Carta Democrática da entidade.

Os três líderes conversam "amplamente" sobre o golpe de Estado em Honduras durante suas reuniões e reafirmaram seu apoio ao Acordo de San José e aos esforços da OEA para encontrar uma resolução pacífica à crise política que restaure a governabilidade democrática e o Estado de Direito, assim como respeite os direitos dos hondurenhos.

EFE cae-mp/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.