EUA, México e Canadá decidem virar modelo de cooperação para o mundo

Celine Aemisegger. Washington, 16 jul (EFE).- Estados Unidos, México e Canadá se comprometeram hoje a fortalecer a cooperação entre os três países dando a ela um sentido mais estratégico e profundo, passo que querem que sirva de modelo para outras regiões do mundo.

EFE |

Após uma reunião no Departamento de Estado americano, a chefe da diplomacia no Governo de Barack Obama, Hillary Clinton, e seus colegas do México, Patricia Espinosa, e do Canadá, Lawrence Cannon, concordaram que é importante continuar promovendo mecanismos de cooperação entre as três nações.

O encontro serviu para que as partes começassem a preparar a agenda da próxima cúpula de chefes de Estado e de Governo da América do Norte, que acontecerá nos dias 9 e 10 de agosto, em Guadalajara (México), anunciou a chanceler mexicana.

A reunião com o presidente mexicano, Felipe Calderón, e o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, será a primeira da qual Obama também participará.

Em declarações à imprensa ao término do encontro ministerial, tanto Hillary como Espinosa disseram que os contatos foram "muito proveitosos" e "excelentes". Cannon também classificou as conversas como "muito produtivas e pragmáticas".

A secretária de Estado americana ressaltou que a relação entre os três países e destes com todo o continente "tem um enorme potencial" para melhorar a segurança e oferecer mais oportunidades à população regional.

"Focamos os ativos e valores compartilhados. Particularmente, focamos o dinamismo de nossas economias e nossos cidadãos tão trabalhadores e criativos para tornar a América do Norte a região mais próspera, segura e competitiva no mundo", afirmou Hillary.

Para a diplomata americana, a cooperação entre EUA, México e Canadá é muito importante. "Quanto mais conseguirmos nos coordenar, mais poderemos nos apresentar como uma frente unida em foros mundiais como o G20 ou outros" dos quais os três países sejam membros.

Espinosa, por sua vez, afirmou que EUA, México e Canadá "devem aproveitar sua experiência positiva na cooperação trilateral" e adotar um enfoque "mais estratégico e profundo", que beneficie diretamente os cidadãos.

Ela e os dois colegas decidiram seguir uma estratégia sistemática que ajude ainda mais a criar um mundo mais justo, sustentável e equilibrado.

No encontro, Hillary, Espinosa e Cannon abordaram a competitividade regional, as energias renováveis, o meio ambiente, a mudança climática e a segurança.

Em relação a esse último assunto, a chanceler mexicana disse que os três países debateram um conceito mais amplo, "que vá além" da "já crescente cooperação na luta contra o crime organizado e outras ameaças capazes de afetar" a região.

O foco dessa colaboração trilateral deve focar, além disso, a prevenção de pandemias como a gripe suína e de desastres naturais, ressaltou Espinosa.

A cúpula de Guadalajara, acrescentou, será uma "oportunidade valiosa" para os líderes regionais discutirem políticas que aumentem a "influência da América do Norte em assuntos globais".

Já o ministro canadense afirmou que a reunião de hoje "preparou o terreno" para que os três líderes possam ter uma conversa produtiva em agosto.

Os temas que Hillary, Cannon e Espinosa abordaram têm como base o "interesse comum de todos os norte-americanos", destacou o mexicano.

Um assunto que não foi debatido no encontro trilateral foram as tensões surgidas entre México e Canadá depois que o Governo de Harper decidiu cobrar dos mexicanos vistos de entrada no país.

As divergências, no entanto, vieram à tona na entrevista coletiva, durante a qual Espinosa anunciou que o México, em retaliação, exigirá vistos dos diplomatas e funcionários canadenses.

EFE ca/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG