A economia americana cresceu 0,6% nos primeiros três meses de 2008 em relação ao mesmo período do ano passado, segundo informações do Departamento de Comércio americano. Os resultados, divulgados nesta quarta-feira, surpreenderam analistas, que esperavam avanço de apenas 0,2%.

A taxa, que amenizou temores de uma desaceleração mais intensa da economia do país, é a mesma registrada nos últimos três meses de 2007.

Analistas crêem que o Banco Central americano (Fed) deve anunciar ainda nesta quarta-feira um novo corte nos juros. A taxa, atualmente em 2,25%, cairia para 2%.

Queda de confiança
Os números do governo americano indicam ainda que os gastos dos consumidores registrou o menor avanço desde 2001 - 1% no primeiro trimestre em relação aos primeiros três meses do ano anterior.

Nos últimos meses de 2007, o índice havia avançado 2,3% na mesma comparação.

Os gastos com construção de casas caíram 26,7%, o que aponta a extensão da crise no setor imobiliário americano.

Para o correspondente da BBC em Washington Jack Izzard, mesmo que pequeno, o crescimento de 0,6% indica que a economia americana ainda não está em recessão.

Ainda assim, segundo Izzard, os americanos estão sentindo os impactos da alta dos preços dos combustíveis e dos alimentos, o que diminuiu o nível de confiança dos consumidores ao seu menor nível em cinco anos.

Para o correspondente, se os consumidores continuarem gastando pouco, a economia dos EUA poderá começar a afundar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.