EUA mantêm cautela sobre plano para cessar-fogo em Gaza

WASHINGTON - Os Estados Unidos se mostraram hoje cautelosos sobre o plano orquestrado por França e Egito para forjar um cessar-fogo em Gaza, ao assinalar que trabalham em outras vias diplomáticas e precisam saber mais detalhes da proposta.

EFE |

Por isso, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, prolongou sua estadia em Nova York para continuar negociando na ONU uma solução "efetiva e duradoura" ao conflito bélico na Faixa de Gaza, informou hoje o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Wood, em sua entrevista coletiva diária.

Rice avalia outras opções diplomáticas e mantém reuniões com autoridades árabes e européias, como os ministros de Exteriores da França, Bernard Kouchner, e do Egito, Ahmed Aboul Gheit, e com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, segundo os dados fornecidos por Wood.

"Estamos avaliando a proposta egípcia", indicou o porta-voz, que advertiu, no entanto, que os Estados Unidos também "estão estudando outras idéias" para resolver o conflito de maneira "efetiva e duradoura".

"A situação está em transformação. Estamos considerando várias opções diplomáticas. Há várias opções sobre a mesa", explicou Wood, sem fornecer outros detalhes.

Já a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, explicou que o Governo quer saber mais detalhes do plano de França e Egito.

"Entendo que Israel mantém uma postura favorável sobre o plano, mas quer saber mais, da mesma forma que nós", assinalou.

"Precisamos urgentemente fechar algum tipo de acordo de cessar-fogo que perdure e que inclua os três elementos" que os Estados Unidos consideram imprescindíveis para solucionar a crise, acrescentou Perino.

Washington apóia um cessar-fogo, mas considera que a solução não passa por retornar à situação prévia a 27 de dezembro.

A Casa Branca pretende forjar um acordo "sustentável, durável e sem limite de tempo" que inclua o fim dos lançamentos de foguetes, a abertura das passagens fronteiriças e uma solução aos túneis subterrâneos, assim como a recuperação do controle do território por parte da Autoridade Nacional Palestina (ANP).

"Estamos buscando um cessar-fogo que realmente perdure. Acho que o pior que poderíamos ter é a continuidade deste ciclo sanguinário", ressaltou.

Egito e França apresentaram ontem na ONU um plano para deter a ofensiva israelense na Faixa de Gaza e entabular um diálogo que ponha fim ao bloqueio ao território palestino.

A proposta inclui a abertura de um diálogo com a participação da Autoridade Nacional Palestina e no qual se adotem as medidas necessárias para deter a violência.

Neste diálogo se incluiriam assuntos como a proteção da fronteira de Gaza contra o contrabando de armas e a reabertura de todos os postos de controle fronteiriço que estão praticamente fechados desde que o Hamas assumiu o controle do território, em 2007.

    Leia tudo sobre: euafaixa de gazagazaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG