Washington, 30 abr (EFE).- O Governo dos Estados Unidos manteve o Brasil entre os países que precisam de ajuda bilateral para resolver os problemas subjacentes à pirataria de produtos.

México, Colômbia, Bolívia e Filipinas também fazem parte da chamada "lista de alerta", integrada por 33 nações e divulgada todos os anos pelo Escritório do Representante de Comércio Exterior (USTR, em inglês) dos EUA.

Nesta terça-feira, dentro de um relatório especial de 44 páginas, o Governo americano divulgou ainda que Canadá, Argélia e Indonésia deixaram a "lista de alerta" e entraram para a "lista de alerta prioritária".

Segundo Washington, esse segundo grupo de países requer mais atenção das autoridades porque não tem "um nível adequado de proteção dos direitos de propriedade intelectual", sobretudo no que se refere à pirataria pela internet.

Para o Executivo americano, os que fazem parte da "lista de alerta prioritária", também integrada por países como China, Rússia, Venezuela, Índia e Israel, devem tomar medidas mais contundentes contra a ação dos piratas.

O relatório do USTR avalia as medidas que 77 parceiros comerciais dos EUA tomam para proteger os direitos intelectuais contra a falsificação.

Os países da "lista de alerta prioritária" que não melhorarem seus mecanismos para proteger os direitos de propriedade intelectual podem sofrer retaliações dos EUA na Organização Mundial do Comércio (OMC). EFE mp/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.