EUA mandaram inspecionar aviões da série MD-80 por problemas técnicos

Washington, 20 ago (EFE) - A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, em inglês) ordenou este ano em duas ocasiões revisar todos os aviões da série MD-80 perante possíveis defeitos no trem de pouso e na fuselagem das asas. Um MD-82 da companhia espanhola Spanair se acidentou hoje no aeroporto de Madri-Barajas, matando pelo menos 146 pessoas, segundo dados provisórios divulgados por fontes oficiais. De acordo com o registro de acidentes da firma McDonnel Douglas, os aviões da série MD-80 estiveram envolvidos em 56 incidentes desde que começaram a ser fabricados, entre os quais se contam 23 com destruição da nave. Desses incidentes, 12 causaram mortes e o número de vítimas supera as mil pessoas.

EFE |

A FAA informa em seu site que as duas revisões foram ordenadas em abril e julho, o que causou o cancelamento de centenas de vôos em todo os Estados Unidos.

Em abril, só a companhia aérea American Airlines cancelou mais de mil vôos para poder revisar 179 aviões da série MD-80 que tem em sua frota, depois que a FAA advertiu de problemas com os cabos no compartimento do trem de pouso.

Além da American Airlines, também cancelaram centenas de vôos as companhias aéreas Alasca, Midwest e Delta.

No início de julho, a FAA ordenou a todas as companhias aéreas americanas que fizessem inspeções na busca de rachaduras nas armações sobre as asas de vários aviões na série MD-80.

A ordem afetou 670 MD-81, MD-82, MD-83, MD-87 e MD-88 registrados nos Estados Unidos.

Na época, a American Airlines tinha 212 aviões MD-82 e 86 aviões MD-83, e a Delta outros 117 MD-88.

"Todas as inspeções ordenadas pela FAA são coordenadas e aplicadas pela Agência Européia de Segurança Aérea", disse à Agência Efe Jim Proulx, porta-voz da Boeing, a empresa fabricante desse tipo de aviões.

"A comunidade aeronáutica mundial coopera estreitamente", acrescentou Proulx.

A companhia aérea expressou seu pesar pela morte, no aeroporto de Barajas, de pelo menos 146 pessoas que iniciavam um vôo em um MD-82 com destino às Ilhas Canárias.

A Boeing produziu quase 1.200 aviões desta linha e os principais compradores incluem as companhias aéreas Aeroméxico, Allegiant Air, B&H, American, Angkor, Austrian, Avianca, Belle Air e Delta.

Outros compradores foram Swissair, Alitalia, Spanair, SAS, Finnair, Iberia, Japan (JAS), China Eastern, China Northern, Alasca, Korean Air, Austral Líneas Aéreas, e Viking Airlines. EFE jab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG