EUA lançam grande ofensiva contra Talebã no Afeganistão

Forças militares dos Estados Unidos iniciaram, nas primeiras horas desta quinta-feira, uma grande ofensiva contra militantes do Talebã na Província de Helmand, no sul do Afeganistão. Segundo um comunicado divulgado pelos militares dos EUA, cerca de 4 mil fuzileiros navais, assim como 650 soldados afegãos, estão envolvidos na operação, com apoio de aeronaves da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

BBC Brasil |

De acordo com o general de brigada Larry Nicholson, comandante dos fuzileiros navais no sul do Afeganistão, a nova ofensiva se diferencia das anteriores pelo "tamanho da força" usada e por sua velocidade.

Oficiais na área afirmam que esta é a maior ofensiva dos fuzileiros navais desde a Guerra do Vietnã.

A operação, a maior desde que Barack Obama assumiu a Presidência dos Estados Unidos, teve início nas primeiras horas desta quinta-feira (horário local), quando as unidades militares começaram a se movimentar no vale do rio Helmand.

Helicópteros e veículos pesados de transporte começaram o avanço sob a cobertura de aviões da Otan.

Segurança
A região sul do Afeganistão é considerada um importante reduto do Talebã.

"Para onde formos, ficaremos. Nos lugares que ficarmos, nós trabalharemos pela transição de todas as responsabilidades de segurança para forças afegãs", disse o general Larry Nicholson em um comunicado.

Segundo Nicholson, o objetivo da operação é aumentar as condições de segurança na região antes das eleições presidenciais de 20 de agosto, permitindo que os eleitores se registrem.

Um porta-voz das Forças Armadas dos EUA, capitão William Pelletier, afirmou à BBC que "não houve contato com inimigos" nas primeiras horas da operação, mas que um fuzileiro teria ficado levemente ferido depois de um explosivo improvisado ter detonado.

Pelletier afirmou ainda que é "essencial que nenhum civil fique ferido" durante a operação.

O governador da Província de Helmand, Gulab Mangal, afirmou esperar que a operação seja "bastante eficaz".

"As forças construirão bases para fornecer segurança ao povo local, de modo que eles possam continuar suas vidas em paz", disse Mangal.

Tropas
A Força de Assistência de Segurança Internacional (Isaf, na sigla em inglês) da Otan atua com cerca de 61 mil homens de 42 nacionalidades no Afeganistão, segundo números do último mês de junho.

Mais de 28 mil homens desse efetivo são de nacionalidade americana.

Além disso, os EUA também possuem homens atuando na Operação Enduring Freedom â¿ a maioria no leste do país, na fronteira com o Paquistão -, que não estão sob o comando da Isaf. Em dezembro do ano passado, este contingente era de mais de 17 mil homens.

O presidente Barack Obama prometeu enviar mais 21 mil soldados ao Afeganistão â¿ a maioria deslocada das operações no Iraque â¿ para ajudar no treinamento de forças afegãs e lutar contra insurgentes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG