EUA: John Edwards é acusado de crimes relacionados a fundos de campanha

Ex-senador democrata e candidato à vice-presidência americana enfrenta pena de cinco anos de prisão e multa de R$ 394,9 mil por seis acusações

iG São Paulo |

Um júri federal dos Estados Unidos acusou nesta sexta-feira o ex-candidato democrata à vice-presidência John Edwards de seis crimes relacionados ao uso de fundos de sua campanha em 2008 para ocultar sua relação fora do casamento e manter economicamente sua amante.

AP
Ex-candidato à vice-presidência americana é acusado de falso testemunho, conspiração e contribuições ilegais em campanha (foto de arquivo)
As acusações contra o ex-senador, citados por um júri na Carolina do Norte, incluem uma por conspiração, uma por falso testemunho e quatro por contribuições ilegais dentro de uma campanha política, informou o Departamento de Justiça.

A agência federal autorizou na semana passada as acusações, fechando um longo processo de dois anos que aumentou o desprestígio de Edwards, cuja carreira ficou marcada pela aventura com sua amante Rielle Hunter, com a qual teve uma filha. O ex-candidato, que rejeitou assinar um acordo com a acusação aceitando sua culpabilidade, enfrenta agora um julgamento público que poderia resultar  em uma sentença de prisão.

Segundo fontes judiciais, Edwards, 58 anos, recusou negociar uma solução com a promotoria porque se declarar culpado de um delito poderia representar a perda da licença para advogar.

Primárias

As acusações se referem às supostas contribuições que Edwards fez durante sua carreira durante as eleições primárias do partido democrata em 2008 a Hunter, que estava grávida dele, e à suposta trama conspiratória que desenvolveu para mantê-la oculta.

"Acusa-se o senhor Edwards de ter aceito mais de US$ 900 mil em uma tentativa de ocultar os fatos públicos que ele acreditava que poderiam prejudicar sua candidatura", indicou o promotor-geral adjunto dos EUA, Lanny A. Breuer, em comunicado.

A promotoria sustenta também que Edwards conspirou voluntariamente com outros para receber quantidades de dinheiro que ultrapassavam os limites federais para uma campanha presidencial, e que os ocultou com relatórios de despesas de campanha enganosas.

O ex-senador enfrenta uma pena máxima de cinco anos de prisão e US$ 250 mil (R$ 394,9) de multa por cada um das seis acusações, indicou o Departamento de Justiça. Edwards é pai solteiro de três filhos que teve com sua mulher, Elizabeth Edwards, que morreu de câncer em dezembro do ano passado.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: john edwardseuademocratascrimesacusaçãojulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG