EUA já têm 65 casos de gripe suína

Por Andrew Quinn WASHINGTON (Reuters) - Subiu na terça-feira para 65 o total de casos confirmados da gripe suína nos Estados Unidos, e o presidente Barack Obama pediu ao Congresso que libere 1,5 bilhão de dólares para fortalecer a reação norte-americana à epidemia.

Reuters |

Parlamentares realizam sessões de emergência para avaliar as providências tomadas pelo governo contra a doença, que especialistas temem que se transforme em pandemia.

Seis Estados norte-americanos registraram casos - Nova York (45), Califórnia (10), Texas (6), Kansas (2), Ohio e Indiana (1 cada). Todos foram confirmados pelo site do Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC), exceto o caso de Indiana, notificado pelas autoridades estaduais.

O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, decretou estado de emergência, o que permite a rápida mobilização de verbas e funcionários para enfrentar o surto. Autoridades federais haviam declarado emergência nacional no domingo.

A nova cepa da gripe suína já matou até 149 pessoas no México, mas os casos em outros países se mostraram mais benignos. Uma fonte do CDC disse que apenas cinco casos nos EUA exigiram internação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou na terça-feira que o atual surto pode levar apenas a uma pandemia branda, mas alertou que mesmo isso pode ter sérias consequências. Em todo o mundo, 79 casos já foram confirmados em laboratórios reconhecidos pela OMS e notificados oficialmente à agência.

Na Califórnia e no Texas, as autoridades determinaram a interdição de escolas onde houve alunos confirmadamente com gripe suína.

Nova York continua sendo a cidade norte-americana com mais casos, principalmente em uma escola particular do Queens, onde 28 alunos adoeceram. Antes, as autoridades diziam que até cem alunos poderiam ter sido contaminados.

O Departamento de Saúde de Nova Jersey identificou cinco prováveis casos entre pessoas que recentemente viajaram ao México ou à Califórnia. Todos tinham sintomas brandos, dispensando a hospitalização. O resultado de exames feitos pelo CDC deve sair em dois dias.

Em geral, o clima nos EUA é de preocupação, mas sem pânico. Em alguns lugares próximos a focos da doença, houve aumento na venda de medicamentos e máscaras cirúrgicas.

A gripe comum mata em média 36 mil pessoas por ano nos EUA. A médica Anne Schuchat, funcionária do CDC, alertou a população a não confiar demais no fato de que até agora os casos de gripe suína nos EUA foram mais brandos do que no México.

"Acho que estamos realmente nos primeiros dias aqui nos EUA, e podemos ver uma piora na doença," disse Schuchat em uma conferência. "Os vírus da 'influenza' (gripe) são notórios por sua mutação."

(Reportagem adicional de Dan Whitcomb, Emily Chasen, Laura MacInnis)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG