Um homem de 47 anos foi preso no estado americano do Novo México (sudoeste), acusado de ter enviado em outubro 65 cartas ameaçadoras a instituições bancárias - 64 delas, contendo um pó branco -, informou nesta terça-feira o departamento de Justiça.

Acredita-se que o homem tenha agido para se vingar dos grandes prejuízos financeiros que amargou em decorrência da quebra do banco regional Washington Mutual, em setembro, explica um comunicado do departamento.

Os envelopes foram endereçados ao banco JP Morgan Chase, à FDIC (organismo regulador dos bancos de depósitos) e ao escritório de supervisão econômica (OTS), todos envolvidos de alguma maneira na quebra e subseqüente compra do Washington Mutual.

Nas cartas, o acusado afirmava que a pessoa que respirasse o pó branco morreria em dez dias. Após analisar a substância, no entanto, descobriu-se que era inofensiva.

lum/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.