Washington, 8 jun (EFE).- O Governo dos Estados Unidos anunciou hoje que apelará a todos os meios possíveis para conseguir a libertação de duas jornalistas americanas condenadas a 12 anos de trabalhos forçados na Coreia do Norte.

Laura Ling e Euna Lee foram declaradas culpadas de ter entrado ilegalmente na Coreia do Norte e de cometer "um grave crime" contra esse país, segundo anunciou a agência de notícias oficial em Pyongyang.

William Burton, porta-voz da Casa Branca afirmou que o presidente dos EUA, Barack Obama, "está profundamente preocupado" com a condenação.

Paralelamente, Robert Gibbs, outro dos porta-vozes da Casa Branca, assinalou que Ling e Lee - que são repórteres do canal de televisão "Current TV", do ex-vice-presidente americano Al Gore - são inocentes dos crimes pelos quais foram acusadas.

Segundo o ex-embaixador americano na ONU, Bill Richardson, a sentença contra as jornalistas se inclui no conflito que antepõe EUA e Coreia do Norte por causa do desenvolvimento nuclear e armamentista do país asiático.

Richardson, que é governador do estado do Novo México, qualificou a sentença como "mais dura do que se esperava" e sugeriu em entrevista para a rede de televisão "NBC" que este seria o momento adequado para que os EUA interviessem em favor da libertação de Ling e Lee.

Para Richardson, existem boas perspectivas de alcançar esse objetivo.

Ao justificar seu otimismo, o governador do Novo México explicou que, até agora, a Coreia do Norte não vinculou o incidente com as divergências surgidas pelo programa nuclear norte-coreano e seus recentes testes de mísseis.

Além disso, segundo Richardson, Pyongyang também não se mostrou particularmente hostil perante o incidente. "O bom é que não houve nenhuma acusação de espionagem", disse o ex-diplomata.

Em 1996, o governador viajou até a capital norte-coreana para negociar com sucesso a libertação do americano Evan Hunziker, detido sob suspeita de realizar tarefas de espionagem.

Dois anos antes, Richardson liderou as negociações que terminaram com a libertação de um piloto de helicóptero derrubado após atravessar de forma inadvertida a fronteira entre as duas Coreias.

EFE ojl/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.