EUA impõem sanções ao líder rebelde ugandense Joseph Kony

Washington, 28 ago (EFE).- O Governo dos Estados Unidos impôs sanções ao líder rebelde ugandense do Exército de Resistência do Senhor (LRA, na sigla em inglês), Joseph Kony, informou hoje o Departamento do Tesouro americano.

EFE |

Em um breve comunicado, o Departamento do Tesouro afirmou que incluiu Kony em sua lista de terroristas, uma designação que implica o congelamento de ações que o rebelde tiver em companhias americanas e proíbe qualquer transação financeira ou comercial entre cidadãos ou empresas americanas com ele.

O LRA já é considerado pelos EUA como uma organização terrorista, mas não tinha emitido, até agora, sanções contra Kony. Além disso, é qualificado como um dos grupos rebeldes mais cruéis da África e Kony é considerado um fanático religioso que assegura que, se chegar ao poder, governará guiado pelos Dez Mandamentos.

É atribuído a este grupo armado o assassinato de civis, a mutilação de muitos deles e o seqüestro de cerca de 20 mil menores para utilizá-los como combatentes ou escravos sexuais.

Nos últimos dois anos, o Governo ugandense e o LRA estiveram envolvidos em debates para conseguir um acordo de paz, mas as negociações sofreram múltiplos revezes.

Kony foi acusado de crimes de guerra e contra a humanidade pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), que emitiu uma ordem de busca e captura contra ele e dois de seus suplentes. Ele se negou em abril a assinar o acordo de paz que tinha sido negociado.

Segundo relatórios dos serviços de segurança, Kony se movimenta constantemente entre a República Democrática do Congo e a República Centro-Africana. EFE cai/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG