EUA: gripe suína poderá matar até 90 mil neste inverno

A gripe suína poderá infectar a metade da população dos Estados Unidos neste outono e inverno (boreal) e matar até 90 mil pessoas, advertiram nesta segunda-feira conselheiros científicos do presidente americano, Barack Obama.

AFP |

Em um cenário "admissível" de evolução da gripe A(H1N1) nos Estados Unidos, o órgão que aconselha Obama em questões científicas, o PCAST (President's Council of Advisors of Science and Technology), prevê forte tensão sobre o sistema de saúde no país, com a epidemia atingindo entre "30 e 50% da população".

Neste contexto, "entre 20 e 40% dos americanos (60 a 120 milhões de pessoas) apresentariam sintomas, e mais da metade recorreriam a ajuda médica", advertem os especialistas.

Segundo as mesmas projeções, até 1,8 milhão de americanos poderiam ser admitidos em hospitais, com cerca de 300 mil precisando de tratamento intensivo (UTI).

"Estes pacientes mais afetados poderiam ocupar de 50 a 100% dos leitos de unidades intensivas nas regiões mais atingidas pela epidemia, gerando forte tensão nestes centros médicos, que já funcionam em seu limite em tempos normais", destacam os especialistas.

A epidemia de gripe suína "poderá provocar de 30 mil a 90 mil mortes nos Estados Unidos, com uma maior concentração de casos entre crianças e adultos jovens.

A gripe comum mata no mesmo período entre 30 mil e 40 mil pessoas nos Estados Unidos, especialmente idosos (com mais de 65 anos).

A epidemia deve ganhar força nos Estados Unidos em setembro, com a volta às aulas, chegando a seu pico em meados de outubro.

jm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG