O exército americano vai acabar com a prática, instituída há dois anos, de forçar seus soldados a servir além do período obrigatório, declarou nesta quarta-feira o secretário de Defesa Robert Gates.

A medida marca uma ruptura com a linha do ex-presidente George W. Bush, segundo a qual o serviço de um militar era estendido baseado no chamado "stop-loss", disposição instituída para garantir o número de tropas no Iraque e no Afeganistão.

Extremamente criticada, a disposição exigia que os soldados permanecessem disponíveis caso suas unidades fossem mobilizadas nos 90 dias posteriores ao fim do serviço no exército.

ddl/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.