EUA fecham representações na África do Sul por ameaça

Por Agnieszka Flak JOHANESBURGO (Reuters) - Todas as representações do governo norte-americano na África do Sul foram fechadas nesta terça-feira devido a uma ameaça à segurança que não foi revelada, mas a polícia disse que a situação estava sob controle.

Reuters |

O comissário da polícia sul-africana Bheki Cele afirmou que não poderia dar maiores detalhes sobre a ameaça, mas disse que não se pode descartar a possibilidade de um trote.

"Nossa inteligência está lidando com isso. Está sob controle", disse ele a repórteres na Cidade do Cabo.

"Há coisas que aconteceram. Há coisas que estão acontecendo", disse ele, acrescentando que polícia está em contato com oficiais dos Estados Unidos.

A África do Sul, que sediará a Copa do Mundo no próximo ano, não é vista como um alvo para terroristas.

Rebeldes somalis juraram vingar a morte na semana passada de um dos suspeitos mais procurados da Al Qaeda em uma ofensiva norte-americana, mas não houve relações anteriores entre insurgentes somalis e a África do Sul.

Os ataques a bomba às embaixadas dos Estados Unidos no Quênia e Tanzânia em 1998 mataram 224 pessoas e feriram outras milhares.

Um porta-voz do Departamento de Estados em Washington afirmou que o governo norte-americano está alertando cidadãos do país a serem mais cuidadosos quando andarem perto de representações do governo dos Estados Unidos na África do Sul.

A porta-voz da embaixada dos Estados Unidos, Sharon Hudson-Dean, disse que na atual situação as representações devem reabrir nesta quarta-feira.

(Reportagem adicional de Ed Cropley, Wendell Roelf e Eric Beech)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG