EUA fecham maior centro de detenção no Iraque

BAGDÁ - O exército dos Estados Unidos fechou nesta quinta-feira o maior centro de detenção no Iraque, à medida que continua a libertar ou a entregar para custódia iraquiana milhares de pessoas presas desde a invasão do país, em 2003.

Redação com agências internacionais |

O fechamento de Camp Bucca, amplo complexo penitenciário no deserto meridional do Iraque, perto do Kuwait, foi definido sob o escopo do pacto bilateral de segurança assinado no ano passado, que obriga as forças norte-americanas a desmontar seu abrangente programa de detenções no Iraque.


Camp Bucca encerrou suas operações na noite de quarta-feira / AP

Bucca já abrigou 14 mil detentos, a maioria por meses ou anos sem qualquer acusação formal e sem acesso a advogados. Alguns foram mantidos em containers de aço com um banheiro e sistema de ar condicionado.

O número de presos foi sendo reduzido até o fechamento formal do centro às 21h22 de quarta-feira, horário de Brasília, quando um avião transportou o último grupo de 180 detentos que deixou Basra para outra prisão militar em Bagdá, de acordo com um comunicado do exército norte-americano.

Com o fechamento do campo de Bucca, 8.300 detentos continuam em poder dos Estados Unidos no Iraque, em dois centros penitenciários próximos a Bagdá.


Mais de 14 mil detentos já passaram pelas dependências da prisão / AP

Leia mais sobre guerra no Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG