Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

EUA fazem novo alerta ao Irã, que recebe enviado da UE

Por Fredrik Dahl TEERÃ (Reuters) - Os Estados Unidos alertaram na quarta-feira o Irã que todas as opções estão sobre a mesa para conter o programa nuclear do país, que nesta semana recebe uma nova oferta da comunidade internacional.

Reuters |

Javier Solana, chefe da diplomacia da União Européia, irá a Teerã no fim de semana para discutir a proposta das grandes potências de conceder benefícios políticos e comerciais em troca de o Irã abrir mão das atividades de enriquecimento de urânio.

Mas a República Islâmica já deixou claro que não pretende ceder à exigência internacional. Contrariando as suspeitas do Ocidente, o país diz que seu programa nuclear é pacífico, apesar de já ter sido alvo de três pacotes de sanções da ONU.

Nesta semana, o presidente dos EUA, George W. Bush, disse que 'um Irã com uma arma nuclear seria incrivelmente perigoso para a paz mundial'. Em sua última visita como chefe de Estado à Europa, ele buscou apoio por novas sanções ao país.

Na quarta-feira, ele se reuniu com a chanceler (primeira-ministra) Angela Merkel em Meselberg (nordeste da Alemanha). 'A primeira escolha da chanceler e minha, é claro, seria resolver isso diplomaticamente..., mas todas as opções estão sobre a mesa', disse Bush, numa referência à ameaça de uma ação militar.

Seus aliados europeus se mostram disposto a ajudá-lo a conter o Irã, mas já parecem mais preocupados em quais atitudes vai tomar o próximo presidente dos EUA, que toma posse em janeiro.

Em Bruxelas, Solana disse esperar que o Irã participe de um novo processo para resolver o impasse diplomaticamente, embora tenha minimizado a perspectiva de acordo.

'Esperamos muito que haja um resultado positivo da visita e que não seja só uma visita, que seja um processo que reinicie a tentativa de encontrar uma solução diplomática para a crise', afirmou a jornalistas.

Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU -- EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China -- mais a Alemanha decidiram no mês passado ampliar o pacote de benefícios destinado a convencer o Irã a abandonar o programa atômico.

(Reportagem adicional de Zahra Hosseinian em Teerã, Matt Spetalnick e Kerstin Gehmlich em Meseberg, Alemanha, e William Schomberg e Ingrid Melander em Bruxelas)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG