EUA fazem nova tentativa para diálogo entre palestinos e Israel

Por Jeffrey Heller JERUSALÉM (Reuters) - Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira uma nova tentativa de estabelecer um diálogo entre palestinos e israelenses, enquanto em Gaza militantes contrários ao processo de paz tentaram detonar a cerca na fronteira com Israel.

Reuters |

O enviado especial do presidente norte-americano, Barack Obama, à região, George Mitchell, disse a jornalistas que o presidente lhe orientou a "exercer todos os esforços para criar a circunstância em que as partes possam começar discussões imediatas."

Mitchell participou em Oslo de uma reunião com doadores para os palestinos, e em seguida deve viajar à região.

Tony Blair, enviado especial da comunidade internacional para o Oriente Médio, disse após a reunião de Oslo que os países árabes deveriam participar da iniciativa de Obama.

"Precisamos do apoio deles para a Autoridade Palestina, do apoio deles para o processo de paz, do apoio deles para chegar a uma nova compreensão sobre como podemos estabelecer a paz no Oriente Médio," disse Blair à Reuters.

"O presidente Obama precisa de algum retorno. Ele está à procura, mas precisa do retorno das pessoas, e acho que os próximos meses serão para ver se podemos criar as circunstâncias em que isso ocorra."

Mitchell se encontra na terça-feira com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e na quarta-feira com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

Netanyahu está em atrito com o governo Obama devido à sua relutância em impedir a expansão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia e em aceitar a criação de um Estado palestino, um dos pilares da política dos EUA na região.

Obama conversou na segunda-feira por telefone com Netanyahu e, segundo a Casa Branca, ele "reiterou os principais elementos do seu discurso do Cairo (na semana passada), inclusive seu compromisso com a segurança de Israel."

O discurso de Obama no Cairo foi recebido principalmente como uma abertura ao mundo islâmico, e nele o presidente voltou a pressionar Israel a congelar os assentamentos na Cisjordânia.

Na fronteira com a Faixa de Gaza, território dominado pelo grupo islâmico Hamas, palestinos disseram que militantes atacaram soldados israelenses com armas anti-tanque e detonaram explosivos. Nenhum israelense foi ferido no ataque, disse o porta-voz do Exército.

Forças israelenses atingiram atiradores e vários cavalos morreram, disse o porta-voz. Uma rádio do Hamas disse que ao menos 10 atiradores participaram na operação, a mais ambiciosa desde a incursão israelense na Faixa de Gaza, no início do ano.

(Reportagem adicional de Adam Entous e Joseph Nasr em Jerusalém, Wojciech Moskwa em Oslo e Ali Sawafta em Ramallah)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG