condenação a 12 anos de trabalhos forçados de duas jornalistas americanas na Coreia do Norte por entrar ilegalmente no país, e fará todo o possível para obter a libertação de ambas, anunciou a Casa Branca." / condenação a 12 anos de trabalhos forçados de duas jornalistas americanas na Coreia do Norte por entrar ilegalmente no país, e fará todo o possível para obter a libertação de ambas, anunciou a Casa Branca." /

EUA farão o possível para libertar jornalistas na Coreia do Norte, diz porta-voz de Obama

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está muito preocupado com a http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/06/08/coreia+do+norte+condena+jornalistas+dos+eua+e+aumenta+tensao+6605905.html target=_topcondenação a 12 anos de trabalhos forçados de duas jornalistas americanas na Coreia do Norte por entrar ilegalmente no país, e fará todo o possível para obter a libertação de ambas, anunciou a Casa Branca.

Redação com agências internacionais |

"O presidente está muito preocupado com a condenação contra duas jornalistas americanas pelas autoridades norte-coreanas, e estamos fazendo todo o possível para garantir libertação", afirmou nesta segunda-feira o porta-voz da Casa Branca, Bill Burton.

Hillary Clinton também fez um apelo, dizendo que as acusações contra as rés eram infundadas.

"(Pyongyang) está usando a sentença como isca para arrancar concessões dos EUA em meio à tensão elevada", disse Lee Dong-bok, pesquisador da entidade CSIS em Seul, e especialistas nas táticas norte-coreanas de negociação.


Jornalistas americanas foram presas na Coreia do Norte / AP

Jornalistas presas

As jornalistas Euna Lee e Laura Ling, do canal norte-americano Current TV , foram detidas em março, quando faziam uma reportagem na fronteira entre China e Coreia do Norte.

Um tribunal na Coreia do Norte condenou as jornalistas a 12 anos de trabalhos forçados, de acordo com a mídia local. Euna Lee e Laura Ling foram consideradas culpadas de "atos hostis" e ingresso ilegal no país comunista. Lee e Ling foram presas em março, depois de supostamente entrar na Coreia do Norte cruzando a fronteira chinesa.

O julgamento foi realizado em um momento de crescente tensão por causa do programa nuclear da Coreia do Norte.

"O julgamento confirmou o crime grave que elas (as repórteres) cometeram contra a nação coreana e a entrada ilegal no país (...) elas foram condenadas, cada uma, a 12 anos de recuperação através do trabalho", disse a agência de notícias estatal KCNA.

A agência não deu mais detalhes. Não foi permitido que observadores estrangeiros estivessem presentes na audiência judicial em Pyongyang.

Assista ao vídeo abaixo:

Leia mais sobre Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG