EUA expulsam embaixador e congelam ativos de dirigentes venezuelanos

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira a expulsão de seu embaixador em Washington em represália pela expulsão do representante norte-americano em Caracas, além de sanções contra dois altos funcionários do governo da Venezuela, acusados de ajudar a guerrilha colombiana no narcotráfico.

AFP |

O Departamento de Estado americano anunciou nesta sexta-feira que comunicou ao embaixador da Venezuela em Washington que ele será "expulso", em represália pela expulsão do representante americano em Caracas, anunciada na quinta-feira pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez.

"Informamos ao embaixador venezuelano nos Estados Unidos que será expulso e que deverá abandonar os Estados Unidos", declarou à imprensa o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack.

A decisão foi anunciada depois que o Tesouro comunicou o congelamento dos ativos de dois altos funcionários e de um ex-ministro da Justiça venezuelanos nos Estados Unidos, acusando-os de colaborar com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no narcotráfico.

O Tesouro indicou que as punições afetam dois altos funcionários: Hugo Armando Carvajal Barrios, chefe da Direção de Informações Militares Venezuelanas (DGIM) e Henry de Jesús Rangel, chefe da Direção dos Serviços de Informações e de Prevenção (DISIP), assim como Ramón Rodríguez Chacín, que há poucos dias era ministro do Interior e da Justiça.

O Departamento norte-americano acusou os três homens de terem "armado, estimulado e financiado as Farc", a guerrilha colombiana classificada pelos norte-americanos como um grupo "de terroristas e narcotraficantes".

Washington acusa Rodríguez Chacín de ser "o principal contato para as armas dentro do governo venezuelano" e de ter "tentado facilitar um empréstimo de 250 milhões de dólares do governo venezuelano às Farc no final de 2007". O Tesouro admitiu, no entanto, que não sabia se o empréstimo havia se concretizado.

Com estas sanções, ficam "congelados todos os ativos que os indivíduos e as entidades mencionadas mantêm sob jurisdição dos Estados Unidos e se proíbe qualquer norte-americano de efetuar transações comerciais ou financeiras com tais ativos", indicou o Tesouro em um comunicado.

O presidente Hugo Chávez, maior opositor ao presidente George W. Bush na América do Sul, anunciou na quinta-feira que havia ordenado a expulsão em 72 horas do embaixador dos Estados Unidos em Caracas, em solidariedad com a Bolívia, que expulsou o representante norte-americano em La Paz.

mj/dm/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG