Washington, 28 abr (EFE).- O Governo de Estados Unidos expressou preocupação com a saúde física e mental da jornalista Roxana Saberi, condenada a oito anos de prisão no Irã por espionagem, disse hoje o porta-voz do Departamento de Estado americano, Robert Wood.

O pai da jornalista, Reza Saberi, disse que a filha iniciou uma greve de fome na prisão de Teerã onde está reclusa. Já o Governo iraniano informou que a repórter, de 31 anos, goza de boa saúde e não se recusou a comer.

Wood disse que a delegação diplomática da Suíça em Teerã, que administra os assuntos americanos perante o Governo iraniano, visitou Saberi pela última vez em 30 de março.

"Dissemos várias vezes que (Saberi) deve ser libertada", afirmou Wood. "Achamos que as acusações contra si não têm fundamento, e que o processo judicial no caso dela não foi transparente", acrescentou o porta-voz do departamento.

"Continuaremos pedindo ao Irã que forneça toda a informação que requisitamos", expressou Wood. "Mas não tivemos muito êxito, o Irã não responde da maneira que desejaríamos que fizesse".

Wood disse que há informações contraditórias sobre a condição de Saberi, que tem cidadania americana, e ressaltou que "isso é parte do problema: não recebemos informação de parte do Irã sobre seu caso, não recebemos respostas muito claras às perguntas que fazemos".

O porta-voz explicou que não desejava dar detalhes específicos das conversas e informações que as autoridades americanas têm, mas "sobre a base do que sabemos, sua condição mental e sua condição física é algo sobre o que estamos preocupados".

Os EUA continuarão "pedindo ao Irã que a liberte e que o faça imediatamente, mas não temos a ilusão de que isto vá ocorrer em breve", afirmou Wood. EFE jab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.