EUA explicarão aos países da região o uso das bases na Colômbia

Os Estados Unidos, que negociam um controverso acordo militar com Bogotá que prevê a utilização de bases militares na Colômbia, vai continuar aberto a explicações aos outros países da região, disse nesta sexta-feira o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley.

AFP |

"Nós e a Colômbia vamos continuar a discutir com os outros países da região" sobre o acordo, disse Crowley durante uma coletiva de imprensa.

No entanto, o porta-voz insistiu que o acordo é uma questão "puramente bilateral".

O acordo, que gerou críticas em diversos países da América Latina, prevê a utilização de sete bases militares da Colômbia pela Força Aérea Americana, como parte das operações contra o tráfico de drogas, crime organizado internacional e terrorismo.

O anúncio do acordo provocou forte resistência na região. As maiores críticas vieram do Equador e da Venezuela, que classificou o acordo como uma ameaça para a estabilidade regional.

O Brasil, por sua vez, manifestou a sua preocupação e buscou garantias de que as missões não irão se estender para além do território colombiano.

A União de Nações Sul-Americanas (Unasul) irá abordar o assunto em um encontro no dia 28 de agosto, na Argentina.

emp/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG