Uma agência militar americana advertiu o governo do ex-presidente George W. Bush em julho de 2002 de que a tortura de suspeitos de terrorismo em geral levanta informação pouco confiável, informou nesta sexta-feira o jornal The Washington Post.

A publicação garantiu que, poucas semanas depois, o Departamento de Justiça autorizou o uso de técnicas duras de interrogatório para alguns prisioneiros.

"A consequência não deliberada de uma política americana que permite a tortura de prisioneiros é que ela pode ser usada por nossos adversários como justificativa para torturar um americano capturado", segundo o relatório.

mk/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.