EUA executam homem que clamava inocência

Steve Henley, 55 anos, foi executado na manhã desta quarta-feira pelo Estado do Tennessee (sul) pelo assassinato de um casal de pessoas idosas, alegando inocência até o fim, anunciou a imprensa local.

AFP |

No dia 24 de julho de 1985, os corpos sem vida de Fred e Edna Stafford foram encontrados em sua casa em chamas, no condado de Jacksonville, Tennessee. A autópsia revelou várias marcas de bala nos corpos antes do incênido.

Steve Henley foi condenado com base em provas apresentadas por outro acusado das mortes, Terry Flatt, que fez acordo com a promotoria para ter a pena reduzida.

Segundo a imprensa local, Henley declarou antes de receber a injeção mortal: "Sou um homem inocente". "Gostaria que (minha morte) tranquilize a família de Fred e Edna".

Trata-se da quinta execução no Tennessee desde o restabelecimento da pena de morte neste Estado do sul dos Estados Unidos em 1974, e a oitava no país em 2009.

Um condenado, David Martinez, deve receber a injeção mortal logo mais à noite no Texas (sul).

lum/chl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG