EUA: Evo Morales cometeu um grave erro ao expulsar embaixador

O presidente da Bolívia, Evo Morales, cometeu um grave erro, que prejudicou as relações com os Estados Unidos, ao expulsar o embaixador de Washington em La Paz, afirmou o Departamento de Estado nesta quinta-feira.

AFP |

"A ação do presidente Morales é um grave erro que afetou seriamente a relação bilateral", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, lendo uma declaração escrita.

Morales pediu na quarta-feira a expulsão do embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg, declarando-o "persona non grata", sob a acusação de incentivar a separação e a divisão na Bolívia, na pior crise diplomática entre os dois países.

"Sem medo do império, hoje declaro o senhor Goldberg persona non grata, peço a nosso chanceler que envie hoje ao embaixador uma mensagem comunicando-lhe a decisão do governo nacional, de seu presidente para que ele retorne urgentemente a seu país", disse Morales em ato público na casa de Governo.

"Quem busca a divisão da Bolívia é o embaixador dos EUA", acrescentou, acusando o mesmo de promover distúrbios em cinco dos nove departamentos do país.

No entanto, nesta quinta-feira, o ministro da Presidência boliviana, Juan Ramón Quintana, esclareceu que a expulsão não implica "necessariamente" na ruptura de relações diplomáticas.

lc/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG