EUA estudam lançar de aviões ajuda a Mianmar

Washington, 8 mai (EFE) - Os Estados Unidos cogitam lançar pacotes de ajuda humanitária de aviões, se não obtiverem a autorização da Junta Militar de Mianmar para poder entrar no país e auxiliar as vítimas do ciclone tropical Nargis.

EFE |

Esta opção não é a ideal, mas é avaliada por parte dos Estados Unidos e outros países como último recurso, se o regime birmanês continuar restringindo a entrada de ajuda e de equipes estrangeiras de resposta a desastres.

A afirmação foi feita hoje pelo diretor do Escritório de Assistência a Desastres no Estrangeiro da Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID), Ky Luu.

A possibilidade não é a ideal porque lançar pacotes de ajuda em pára-quedas sobre Mianmar requer infra-estruturas para poder distribuí-la depois entre a população afetada e pode haver problemas legais, explicou.

O responsável da ONU pediu à Junta Militar birmanesa que aceite a ajuda internacional o mais rápido possível para evitar que a situação se agrave ainda mais.

A opção de recorrer ao lançamento de pacotes de ajuda humanitária de aviões sem a permissão do respectivo Governo é complicada, pois a lei internacional não é clara sobre o tema e funcionários do Pentágono temem que possa ser considerada uma invasão.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, disse que não se pode imaginar que esta opção seja levada à frente sem a autorização da Junta Militar do país.

O titular da Defesa explicou que o Exército está transferindo aviões e navios às proximidades de Mianmar para fornecer ajuda humanitária assim que o regime que governa a nação aprovar a solicitação dos Estados Unidos.

O primeiro avião de ajuda humanitária do Programa Mundial de Alimentos (PMA) chegou hoje a Mianmar, cinco dias depois da passagem do ciclone tropical, que matou milhares de pessoas e deixou muitos desaparecidos no sul do país. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG