EUA estudam hipótese de receber presos de Guantánamo

Washington, 18 mar (EFE).- O Governo dos Estados Unidos disse hoje pela primeira vez que poderia aceitar que alguns dos detidos na base naval de Guantánamo, em Cuba, sejam libertados dentro de seu território.

EFE |

O secretário de Justiça americano, Eric Holder, disse à imprensa que o Governo revisa atualmente caso a caso a situação dos aproximadamente 240 prisioneiros para determinar quais serão processados e quais serão postos em liberdade.

Para os que entrarem no segundo grupo uma das possibilidades é de que "sejam libertados dentro dos EUA", apontou.

Especificamente, citou 17 muçulmanos chineses da etnia uighur, além de outros dois ou três detidos.

O Governo Barack Obama quer que países europeus aceitem alguns dos prisioneiros que não são perigosos, mas algumas dessas nações questionam por que deveriam recebê-los se os Estados Unidos não faz o mesmo.

Ao mesmo tempo, os comentaristas conservadores criticam o governante pela possibilidade de levar "terroristas" aos Estados Unidos.

Atualmente, estão em Guantánamo aproximadamente 60 detidos que os EUA querem libertar, mas que não pode ser repatriar pelo risco de serem torturado. EFE cma/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG